Projectos // detalhe // Exibições do Documentário "Paredes que falam"

Subscrever newsletter
Exibições do Documentário "Paredes que falam"

Exibições do Documentário "Paredes que falam", de Jorge Murteira 

entrada livre

 

No âmbito do projeto WATT? – Um Projecto Artístico para a Comunidade, realizado em parceria entre o LAC e a Fundação EDP, irá ser exibido o documentário “Paredes que falam” da autoria de Jorge Murteira.

Este documentário regista todo o processo de implementação do projeto WATT? ao longo de 6 meses, dando a conhecer todas as suas fases nas 7 localidades Algarvias, que envolveu de forma direta e participativa a população local. 

 

| WATT? uma parceria LAC e a Fundação EDP | 

 

Exibições

 

Vila do Bispo

05 de Outubro - quinta feira  às 17h00

Local: Bombeiros Voluntários de Vila do Bispo

Barão de S. João

06 de Outubro - sexta-feira  às 18h00 

Local: Centro Cultural de Barão de S. João

S. Bartolomeu de Messines

07 de Outubro - sábado às 16h00 

Local: Sociedade de Instrução e Recreio Messinense

Mexilhoeira Grande

08 de Outubro – domingo às   17h00 

Local: Clube de Instrução e Recreio Mexilhoeirense 

Alte

21 de Outubro - sábado às 15h30

Local: Polo Museológico Cândido Guerreiro e Condes de Alte

Alportel

22 de Outubro - domingo às 15h30

Local: Centro Museológico de Alportel

 

Sinopse 
"7 artistas, em 7 localidades do Algarve, durante seis meses.
Começam por se apresentar e conversar com todos os que comparecem para colaborar. Discutem-se ideias antes de intervir nos espaços que são de todos.
O documentário percorre o interior Algarvio e acompanha os protagonistas do Watt? – Um projecto artístico para a comunidade, sejam estes artistas, organizadores, habitantes ou turistas.
Por aqui as paredes também falam. Mesmo as que afinal ficam por pintar.
Porque a liberdade é livre.
"Basicamente é isto e tudo o que vocês quiserem.
Vocês: o mundo.""

Imagem, edição e realização – Jorge Murteira
Duração: 94´53´´


Jorge Murteira, nasceu em 1966 em Lisboa. Antropólogo de formação, inicia o seu percurso no audiovisual em 1987, tendo desde então colaborado, produzido e realizado diversos documentários, entre os quais se salientam: “Rebelados no Fim dos Tempos” (Cabo Verde, 2002); “A Casa do Barqueiro” (Portugal, 2007 – Melhor Primeira Obra e Melhor Documentário no Prémio Escolas do Doc Lisboa 2007); “A ideia nunca abala” (Portugal, 2012) e “Fim de um Mundo” (Portugal, 2015 – Melhor curta metragem na Edição do Festival Plateau, em Cabo Verde nesse mesmo ano). A colaboração em Museus tem também sido uma das suas principais actividades desde 1997, nomeadamente em Museus Nacionais, assim como em vários Museus Municipais, entre outros, em Portugal e no exterior. Em 2015, conclui a componente audiovisual da exposição “Impressão Digital em Terras de Coura” para o Município de Paredes de Coura, a qual foi distinguida no ano seguinte com o Prémio Inovação e Criatividade (Menção Honrosa) pela Associação Portuguesa de Museologia.


Galeria