PATRIMÓNIO ATRAVÉS DO BURACO DA AGULHA no Centro Português de Fotografia

dsc_8606_a-positivoInaugura no dia 20 de Janeiro pelas 21h30 a exposição PATRIMÓNIO ATRAVÉS DO BURACO DA AGULHA, no Centro Português de Fotografia, Edifício da ex-cadeia da Relação do Porto, nas Enxovias de Sta. Ana e de Sr. de Matosinhos (Piso 1). A exposição está patente até 26 de Março e a entrada é livre.

PATRIMÓNIO ATRAVÉS DO BURACO DA AGULHA é um projecto do LAC – Laboratório de Actividades Crativas que pretende valorizar o património histórico edificado reinventando a sua representação fotográfica através de imagens de grandes dimensões na técnica de fotografia estenopeica.

Resultado da adaptação de uma camioneta de caixa fechada para câmara fotográfica móvel, em 2009, o presente acervo fotográfico foi sendo constituído até 2016 na sequência de inúmeras actividades de formação, criação artística e investigação na área da fotografia estenopeica promovidas pelo LAC, e conta com cerca de 35 fotografias de 110x300cm, em média, entre negativos directos, positivos directos e positivos por contacto, em papel e película fotográfica, das quais se apresenta uma selecção.

As imagens, na totalidade do projecto, foram realizadas em 25 localidades de Portugal entre Sagres e Bragança, redescobrindo diversos monumentos classificados através de longas exposições fotográficas sem o auxílio de lentes (fotografia estenopeica, vulgo fotografia pinhole), onde a luz entra numa câmara escura através de um pequeno orifício, projectando no seu interior uma imagem do exterior.

A Fotografia Estenopeica tem algumas particularidades relevantes para uma concepção alargada da imagem fotográfica, como a impossibilidade de “congelar” assuntos em movimento, a impressão de uma temporalidade distendida que se opõe ao instantâneo da fotografia convencional, um extenso campo de nitidez e ausência de foco. Estes aspectos técnicos – e aqui particularmente também a grande escala das imagens – proporcionam ao fotógrafo e ao espectador uma relação especialmente íntima com a luminosidade do tema fotografado, e uma percepção do tempo enquanto duração, factos que contribuem para a redescoberta de uma aura, de uma experiência da contemplaçãoe da identidade, em vias de extinção e por oposição ao imediatismo da comunicação visual actual.

 

Iniciativa, produção e promoção: LAC – Laboratório de Actividades Criativas, Lagos.

Fotografias: Jorge Pereira (LAC) e Rui Cambraia (PinholeLab).

www.lac.org.pt

www.pinholelab.blogspot.pt

This entry was posted in AGENDA, DESTAQUES, GERAL, OBJECTIVOS DO LAC, PARCERIAS and tagged , , , , . Bookmark the permalink.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

five × 3 =